Boias, não. O melhor são os coletes salva-vidas. - Angelino - O Anjinho Distraído
16690
post-template-default,single,single-post,postid-16690,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,vss_responsive_adv,columns-4,qode-theme-ver-8.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive

Boias, não. O melhor são os coletes salva-vidas.

21 nov Boias, não. O melhor são os coletes salva-vidas.

Os afogamentos são muito frequentes na infância, principalmente no verão. Para evitar que isso aconteça, tanto na praia quanto nas piscinas, utilize coletes salva-vidas apropriados para crianças. Eles devem conter o selo do INMETRO, que garante que foram testados, mesmo assim, devemos observar a faixa de peso para a qual foi projetado. Nada de boias engraçadinhas, mas perigosas: patinhos, cavalinhos, golfinhos ou qualquer outro tipo de alegoria feita para divertir as crianças e iludir os pais, mas que não oferecem segurança. As boias podem rasgar, furar ou virar, colocando a vida das crianças em risco. Mesmo as boias de braço não garantem que a criança mantenha a boca e nariz para fora da água. Portanto, não invente, o certo é usar o colete salva-vidas.

E se meus filhos não quiserem usar o colete salva-vidas?

Bom, neste caso, você deverá acompanhá-los dentro da água, assumindo para si a responsabilidade total pela segurança, ou privá-los de se divertirem. Mas nada que uma boa conversa não resolva. Experimente mostrar para as crianças imagens de esportistas aquáticos (rafting, canoagem, jetski) que utilizam o colete como proteção. Eles vão perceber que adultos e até campeões utilizam o acessório e que isso não é coisa de “criancinha”.

 

Sem comentários

Enviar um comentário