O Sol amigo. - Angelino - O Anjinho Distraído
16438
post-template-default,single,single-post,postid-16438,single-format-standard,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,vss_responsive_adv,columns-4,qode-theme-ver-8.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive

O Sol amigo.

16 ago O Sol amigo.

A exposição inadequada ao sol pode causar sérios danos, inclusive o câncer de pele, por isso são tão frequentes as campanhas para criar uma rotina de prevenção, incluindo a necessidade de proteger a pele mesmo nos meses de frio e em dias nublados.

É na infância que devemos começar a prevenir a incidência dos diferentes tipos de câncer relacionados à exposição ao sol. As queimaduras nesta fase da vida provocam alterações nas células da pele que podem levar ao surgimento da doença na vida adulta.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) – Regional São Paulo, é a organizadora da campanha Sol Amigo da Infância e acredita ser fundamental difundir tais noções entre as crianças do ensino fundamental, a partir de propostas pedagógicas (educadores) e, claro, o cuidado dos pais. Assim, poderemos diminuir a incidência do câncer de pele no Brasil, que, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), já é o mais frequente no país, com 25% dos casos de tumores malignos.

Mas o Sol também é um grande aliado do desenvolvimento infantil. A exposição à luz solar é importante para a saúde, já que ajuda o organismo a produzir vitamina D – necessária para o crescimento e a saúde dos ossos, além de ajudar o sistema imunológico. Cerca de 15 minutos de exposição solar entre 10:00-11:00 ou 14:00-15:00, duas vezes por semana, sem filtro solar é o tempo necessário para a produção da vitamina D ativa ao nosso organismo. Depois disso, é fundamental o uso de protetores solares e a cobertura da pele com roupas e chapéus, além de óculos escuros com proteção aos raios UV.

As escolas devem ajudar os pais com tais medidas, além de providenciar espaços com sombra para as crianças brincarem, em especial quando os raios do sol são mais nocivos (entre 10h e 16h).

Fonte: Sociedad Brasileira de Dermatologia

Sem comentários

Enviar um comentário