Angelino - O Anjinho Distraído | Prevenindo os Afogamentos
15772
page,page-id-15772,page-child,parent-pageid-15496,page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,ajax_fade,page_not_loaded,,vss_responsive_adv,columns-4,qode-theme-ver-8.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive

Prevenindo os Afogamentos

img-ilustra-002
icon-afogamento

Aprenda a Prevenir

icon-cloud-small

Vamos Ficar Atentos

Bastam apenas 3 cm de água para que o pior aconteça.

 

Crianças pequenas possuem a cabeça mais pesada em proporção ao corpo, o que significa que não possuem força nos braços para elevar a boca e as narinas em busca de ar. Isso explica por que muitos bebês se afogam.

 

O socorro rápido é fundamental em casos de afogamento. A asfixia pode levar à morte em apenas 5 minutos ou causar danos cerebrais irreversíveis. O ideal é que pais, educadores e responsáveis aprendam as técnicas de reanimação cardiopulmonar.

Cuidados em Casa
  • Jamais deixe uma criança sozinha na piscina ou banheira, mesmo que seja para atender a porta ou o telefone.
  • Esvazie baldes, banheiras e piscinas infantis e guarde-os sempre virados para baixo.
  • Mantenha as portas de banheiros fechadas, bem como as tampas de vasos sanitários (de preferência, com travas de segurança).
  • Cisternas, tonéis e poços devem ser trancados de forma a não permitir o acesso de crianças.
Cuidados com as Piscinas
  • Isole as piscinas com cercas e portões de, no mínimo, 1,5 m de altura. Capas, telas e alarmes de piscina aumentam a proteção, mas não eliminam o risco de afogamentos.
  • Procure saber se vizinhos ou amigos de seus filhos possuem piscina em casa e, antes de deixar seu filho ir brincar na casa deles, certifique-se de que eles adotam todas as medidas de segurança necessárias.
  • Boias de barriga ou de braço dão uma falsa sensação de proteção. Elas podem estourar ou virar, colocando a criança em risco. Prefira os coletes salva-vidas nas piscinas, rios ou praias. Brinquedos e colchões infláveis não dispensam o uso de coletes.
  • Ensine seus filhos a nadar a partir dos 4 anos, de preferência em escolas especializadas, mas não superestime suas habilidades. Muitos afogamentos acontecem com crianças que achavam que sabiam nadar.
Cuidados na Praia
  • Na praia, permita que as crianças brinquem com a água no máximo até a altura do umbigo e sempre supervisionadas. Bancos de areia e valas são verdadeiras armadilhas marinhas, assim como as ondas e as correntezas, que podem puxar as crianças para águas mais fundas.
  • Mesmo brincando na areia, as crianças podem ser surpreendidas por ondas inesperadas. As marés podem subir rapidamente.

Vídeo

icon-cloud-small
img-manual-002

Manual do Angelino

Baixe aqui o manual completo de prevenção de acidentes para ter sempre a mão.

Download em PDF

Redes Sociais

 

Acompanhe as Dicas do Angelino nas Redes Sociais.

 

icon-cloud-small